Ano Brasil-Alemanha: Expertise voltada aos desafios do futuro

Há um ano o “Ano Brasil-Alemanha da Ciência, Tecnologia e Inovação 2010/11” vem combinando as forças dessas duas paisagens científicas, proporcionando grandes impulsos ao desenvolvimento sustentável.
“Sustentável:inovador” - O lema que uniu Brasil e Alemanha no Ano da Ciência, em abril de 2010. Os dois países se engajaram na direção certa, o que ficou evidente na cerimônia de abertura, em São Paulo, onde os ministros dos dois países afirmaram o objetivo comum: aprofundar as relações acadêmicas, promover intercâmbios entre cientistas e estudantes e promover avanços em pesquisas de ponta, em meio a ações coordenadas no campo da ciência, da política e da economia. Apenas com a combinação dos esforços em nível nacional e internacional é possível responder e desvendar as questões sobre o futuro. O foco do Ano da Ciência está em temas como tecnologia ambiental, energia e eficiência energética, biotecnologia e nanotecnologia, além das ciências humanas e sociais.

União das expertises em pesquisa

Desde 1969 a Alemanha e o Brasil vêm trabalhando juntos no campo da ciência, e o Brasil é hoje um dos principais parceiros da Alemanha na América Latina. Atualmente existem mais de 240 colaborações em ensino superior e mais de 2000 brasileiros estudam em universidades alemãs. Uma das grandes vantagens da parceria científica: ambos os países são líderes em suas respectivas especialidades em ciência e inovação. A Ministra Annette Schavan afirmou que “o Brasil possui vastos recursos naturais e inúmeras possibilidades para as energias renováveis. A Alemanha tem inovado em tecnologias de ponta, em particular nas tecnologias verdes. Ao unirmos as duas forças, ambas as partes poderão se beneficiar em condições de igualdade”.

Destaques do ano da Ciência

Dito e feito: em seguida ao lançamento do Ano da Ciência, em 12 de abril de 2010 , foram realizados cerca de 100 eventos na Alemanha e no Brasil, incluindo 60 projetos de Boas Práticas financiados com mais de um milhão de euros do Ministério Federal da Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF), no âmbito do Ano da Ciência. Todos estas iniciativas tiveram o mesmo objetivo: fornecer um impulso ao futuro das relações germano-brasileiras. Foram discutidas perspectivas importantes na reunião da Comissão Brasil-Alemanha para a Cooperação Científica e Tecnológica (STC), que fez parte do Encontro Econômico Brasil-Alemanha no final de maio de 2010, em Munique. Análises foram feitas em nível governamental, não apenas sobre as áreas para pesquisas, mas também visando a criação de um fundo bilateral de incentivo a pesquisa, disponibilizado pelo BMBF e pelo Ministério da Ciência e Tecnologia do Brasil.

A excelência científica em ação

Tudo aconteceu de maneira muito rápida: visitas alternadas de delegações em eventos como em um roadshow da feira de ensino superior “Study & Research in Germany” em setembro de 2010, que apresentou aos brasileiros as universidades e instituições científicas alemãs. A Associação Fraunhofer convidou especialistas brasileiros da área de energia a participar do “Dia da Energia” em Berlim. Uma outra delegação brasileira visitou em outubro a feira BIOTECHNICA 2010 como follow-up do Fórum de Inovação em Biotecnologia, realizado no ano anterior. Também em outubro de 2010, representantes de universidades e empresas alemãs de pesquisa científica foram ao Brasil para participar da feira Mercopar em Caxias do sul, onde puderam apresentar os produtos inovadores da Alemanha em um estande do BMBF. A pesquisa agropecuária também esteve presente, através da visita de uma delegação da EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), a maior organização de investigação em pesquisa agrária do mundo, no intuito de iniciar cooperações e estabelecer uma representação da empresa na Alemanha. Um exemplo de destaque: Sob o tema “Alemanha, seu parceiro em Pesquisa e Desenvolvimento”, treze instituições alemãs fizeram em novembro de 2010 uma turnê por quatro cidades brasileiras, apresentado seu know-how em biotecnologia, pesquisas sobre o meio ambiente, sustentabilidade e produção de tecnologia. A exposição “Olho do Céu”, do Centro Aeroespacial Alemão (DLR) e seus parceiros, chamou a atenção dos visitantes em todo o Brasil em outubro de 2010 com imagens únicas da Terra obtidas por satélite.

Cooperação voltada ao futuro

Todos estes eventos forneceram informações sobre o status atual da pesquisa científica em ambos os países e criaram amplas possibilidades de contatos mais estreitos. O Ano da Ciência teve também diversos workshops sobre temas como biônica, geoinformática, produção de tecnologia e pesquisas sobre íons e prótons. Muito espaço também foi dedicado ao tema da saúde, como na série de seminários das academias de ciências alemãs e brasileiras (novembro de 2010), a presença da delegação de especialistas da Associação Fraunhofer no “Ano da Saúde” (fevereiro de 2011), ou o workshop sobre doenças infecciosas de protozoários e seu tratamento através de produtos naturais (abril de 2011). Todos essas iniciativas tem forte referência nos círculos de experts em pequenos projetos pioneiros. Por essa razão, o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) organizou para após o encerramento do Ano da Ciência, em 4 de abril de 2011 na Feira de Hannover um “Dia do Brasil” na Universidade de Munster, de 29 a 30 de abril, e uma turnê das universidades brasileiras na Alemanha. A Fraunhofer pesquisou, através de dois estudos financiados pelo BMBF, a viabilidade de uma futura cooperação com o Brasil nos temas “Terras Nobres” e “Tecnologia Prostética”. Repercussão positiva O grande interesse na cooperação foi emonstrado
não apenas nos eventos do Ano da Ciência, mas no número de visitas ao portal bilíngue na internet, constantemente atualizado, do Ano Brasil-Alemanha (www.ano-brasil-alemanha.org). As informações sobre o Ano da Ciência, os objetivos, experiências, programação de eventos, balanços, entrevistas e filmes, já tiveram mais de 1.6 milhões de acessos! Para uma maior repercussão, o BMBF forneceu um suplemento especial da publicação internacional de-Magazin, com circulação de 350.000 exemplares, além de comunicados à imprensa no Brasil e na Alemanha. Independentemente da manaira com a qual atingiu o público, o Ano da Ciência trouxe nova força a cooperação Brasil-Alemanha – “sustentável:inovador“!