Cooperação científica

Alemanha e Brasil assinaram em 1969 um acordo intergovernamental de cooperação científica e tecnológica. Com o Ano Brasil-Alemanha de Ciência, Tecnologia e Inovação em 2010/11 essa cooperação longeva e bem sucedida deverá ser reforçada.

Fonte: Pixtal

Brasil é o parceiro mais importante da Alemanha na América do Sul

A cooperação entre Alemanha e Brasil é muito ativa, tanto em nível governamental quanto  em termos econômicos e culturais. Durante a visita da chanceler Angela Merkel ao Brasil em maio de 2008, foi adotado o "Plano de Ação da parceria estratégica germano-brasileira". O Plano de Ação considera a Cooperação Científica e Tecnológica (CCT) um ponto importante no relacionamento entre os dois países, e enfatiza a importância do CCT para as pesquisas relacionadas à sustentabilidade. O Brasil tem um papel privilegiado nos debates sobre pesquisa que ocorrem durante a Cúpula UE-América Latina, entre os Estados-Membros da União Européia e as nações latino americanas e detém uma posição de liderança entre os países de sua região.
A cooperação científica e tecnológica com o Brasil baseia-se no acordo-quadro firmado em 1997 sobre a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico entre a Alemanha e o Brasil, que prevê a inclusão de parceiros da indústria em projetos de cooperação entre os dois países. Essa colaboração ocorre nas áreas do meio ambiente, clima e desenvolvimento sustentável, aeroespacial, agricultura, saúde, assim como na cooperação no ensino superior e formação profissional. A intensificação do acordo para a cooperação nas áreas de novos materiais, biotecnologia, tecnologia industrial, nanotecnologia e tecnologias da informação e comunicação realizou-se em uma reunião da CCT em 2007.

São anunciadas anualmente novas linhas de financiamento para viabilizar novos projetos de colaboração em pesquisa e desenvolvimento. Do lado alemão o financiamento vem do Bureau Internacional do Ministério da Educação e Pesquisa (BMBF) e do lado brasileiro através do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, e é voltado principalmente para o intercâmbio de cientistas.
O financiamento do BMBF também apoia pesquisas extensivas. Projetos de interesse global como pesquisas e tecnologias ambientais são as maiores prioridades para financiamento dentro da cooperação entre a Alemanha e o Brasil. Exemplos de programas de investigação particularmente bem sucedidos são o projeto de pesquisa conjunta  "Mata Atlântica" para o estudo e conservação das florestas costeiras e as torres de observação climática ATTO (Amazonian Tall Tower Observatory) na Amazônia.

A cooperação entre a Alemanha e o Brasil também ocorre no campo da educação. No lado alemão, as organizações intermediárias de cooperação no ensino superior, especialmente o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD), são responsáveis por vários intercâmbios de cooperação acadêmica com o Brasil. O serviço “Bússola do Ensino Superior”, da Conferência de Reitores da Alemanha, registra 184 parcerias entre universidades alemãs e brasileiras. Afim de ampliar a cooperação científica entre Alemanha e Brasil, os dois países iniciaram o Ano Brasil-Alemanha de Ciência, Tecnologia e Inovação 2010/11